MENU

Conheça Chuck Palahniuk

postado em

Saiba mais sobre a vida e a obra de um dos autores mais polêmicos da atualidade 

 

Chuck Palahniuk, de quem a LeYa está prestes a lançar o novíssimo Invente alguma coisa, é conhecido acima de tudo pelo livro Clube da luta e o filme homônimo dirigido por David Fincher, estrelado por Edward Norton e Brad Pitt. Com sua escrita punk e transgressora, Chuck conquistou e chocou multidões pelos países em que seu livros foram publicados.

Charles Michael Palahniuk nasceu em 21 de fevereiro de 1962, em Pasco, Washington. Cresceu num trailer na cidade vizinha, Burbank. Seus pais, Fred e Carol, se divorciaram quando Chuck tinha 14 anos, fazendo com que os filhos passassem a maior parte do tempo com os avós maternos numa fazenda de gado. Seu sobrenome é de origem ucraniana e pode ter várias pronuncias. A mais comum é “Póla-nik”.

Em 1980, Chuck se formou na Columbia High School, em Burbank, ganhando o prêmio de aluno “mais sagaz” da escola no processo. Alguns consideram esse prêmio o estopim de seu interesse pela escrita, mas, de acordo com ele, essa honra pertence a Olsen, seu professor do quinto ano, que lhe disse: “Chuck, você escreve muito bem. E isso é muito melhor do que tocar fogo nas coisas, então continue escrevendo.”

Palahniuk cursou jornalismo da Universidade de Oregon, recebendo o diploma em 1986. Depois da faculdade, trabalhou como repórter numa estação de rádio em Eugene, Oregon, e em seguida, começou a escrever para o jornal The Oregonian. Não muito tempo depois, se sentindo entediado, mudou completamente o rumo e foi trabalhar como mecânico, seguindo na profissão até sua carreira de escritor decolar.

Durante a década de 1990, Chuck tentou publicar alguns livros, entre eles um romance de mais de 700 páginas, mas sempre foi rejeitado pelas editoras americanas, que consideravam suas histórias sombrias demais. Foi então que decidiu seguir seu instinto e criar algo ainda mais sombrio. Clube da luta, seu grande clássico, foi escrito debaixo dos caminhões que Chuck consertava.

Chuck sempre comparou a escrita ágil e concisa de Clube da luta com o punk rock – canções curtas, agressivas e que terminam bruscamente. “Escrevi para ser uma coisa que ia ser lida e depois jogada fora”, revelou certa vez. “Escrevi quase no mesmo tempo que você vai levar para ler. É uma coisa da época que a gente viveu. Todo mundo estava pegando aids e morrendo. Não tinha como um escritor se demorar anos e anos num livro.” E mais: “A velocidade e a concisão de Clube da luta são culpa do punk, da aids, dos videoclipes. Nem eu, nem meus amigos achávamos que estaríamos vivos depois dos trinta.”

Mesmo com o tom sombrio (ou, talvez, exatamente por causa dele), Clube da luta foi publicado em 1996 e ganhou o Oregon Book Award no ano seguinte. Mas foi a versão cinematográfica de 1999 que atraiu mais atenção à obra. Embora tenha dividido público e crítica, o filme se tornou cult e fez com que milhões de pessoas ficassem curiosas em descobrir a origem de todo aquele incrível delírio.

Aquele mesmo ano também foi marcado por uma tragédia na vida de Chuck: seu pai e a companheira foram assassinados. O criminoso, ex-namorado da mulher, foi condenado à pena de morte, decisão que o próprio Chuck apoiou. Posteriormente, a sentença foi alterada para prisão perpetua.

Mas Clube da luta não é o único livro genial de Chuck. Sobrevivente traz a trajetória de vida e morte de um fanático religioso que sequestra um avião – e estava prestes a ser adaptado para o cinema no início dos anos 2000, quando o projeto foi definitivamente suspenso após o 11 de Setembro. Já No sufoco, com a indescritível história de um homem que ganha a vida fingindo se engasgar, chegou às telas num bom filme que, estrelado por Sam Rockwell, não conseguiu repetir o fenômeno que foi Clube da luta. Em Condenada e Maldita, Chuck narras as aventuras no inferno de uma menina bilionária morta por overdose de maconha; Clímax mostra um multimilionário que pretende conquistar o mundo com um brinquedo sexual; e Assombro traz experiências escabrosas narradas pelos participantes de um reality show horripilante (que, claro, saíram todas da cabeça de Chuck). E ainda tem Clube da luta 2, a alucinante continuação em quadrinhos de sua obra máxima.

Atualmente, Chuck Palahniuk vive com o seu parceiro em Washington – escrevendo sem parar.