MENU

Mulheres da LeYa

postado em

No Dia Internacional da Mulher, conheça algumas das mulheres da LeYa

 

Nos últimos anos, estantes de bibliotecas e prateleiras de livrarias, antes quase que totalmente dominadas por nomes masculinos, vêm começando a exibir certa diversidade, em um movimento que, felizmente, só tende a crescer. No Dia Internacional da Mulher, a LeYa celebra e homenageia suas autoras, com uma lista de indicações que vai de poesia à história, passando por fantasia, memórias e psicologia, e que com certeza agradará a todos os gostos.

Amanda Lovelace

Um dos fenômenos da nova geração de instapoets – poetas que estão revolucionando a linguagem em versos por meio da publicação de suas obras no Instagram –, Amanda Lovelace dedica seus poemas a temas bem conhecidos das mulheres, como: dificuldade em se adaptar aos padrões de beleza e feminilidade vigentes, relacionamentos abusivos, busca pela identidade, violência e assédio. No entanto, inova ao misturar suas vivências à lógica dos contos de fada, pelos quais é apaixonada desde a infância. Em A princesa salva a si mesma neste livro, ela faz um percurso sobre as várias fases de vida de uma mulher em paralelo a personagens das fábulas, despertando em quem a lê um sentimento imediato de empatia e reconhecimento. Em seu próximo lançamento, A bruxa não vai para a fogueira neste livro, Amanda conclama as mulheres a escreverem sua própria história, se tornando sujeitas e protagonistas de suas vidas.

 

Tiffany Dufu

Criada para ser a super-mulher que dá conta de tudo, Tiffany Dufu percebeu que não conseguiria administrar uma carreira de sucesso e uma família minimamente organizada se não praticasse o oposto do que a vida inteira lhe disseram para fazer: deixar a peteca cair! No livro Deixe a peteca cair, ela conta como percebeu que não seria possível fazer tudo sozinha – e dá dicas preciosas de como envolver outras pessoas na rotina, dividir tarefas e ter mais tempo livre para crescer profissional e pessoalmente. Ativista pela igualdade entre homens e mulheres, Tiffany conhece de perto a dura realidade que sobrecarrega e impede que mulheres busquem seus talentos e atinjam a plenitude. Dedicada a projetos de educação e desenvolvimento profissional de mulheres, ela trabalha para que cada vez mais mulheres transformem suas vidas a partir da autoconfiança, inovação e pensamento crítico. Seu mantra: “as mulheres só vão conquistar mais quando fizerem menos”.

 

Djaimilia Pereira de Almeida

A autora angolana Djaimilia Pereira de Almeida cresceu nos arredores de Lisboa, e o eterno conflito entre suas duas identidades – africana e portuguesa –, sintetizado pelo tema de seu cabelo, a motivou a escrever seu primeiro romance, de toques autobiográficos. Esse cabelo fala de pertencimento, cultura, padrões de beleza, apropriação, racismo e feminismo. De forma lírica, fragmentada e repleta de imagens, cheiros e memórias de infância, a autora recria a trajetória de Mila e seu cabelo crespo, relação que experimenta diversas fases e sentimentos como ódio, orgulho, amor e aceitação. No livro, o cabelo também aparece como metáfora da relação cultural e geopolítica entre dois continentes, dois mundos e o abismo que os separa, dando ao relato um caráter apaixonante e universal.

 

Robin Hobb

Um dos expoentes da literatura de fantasia mundial, Robin Hobb (ou Megan Lindholm, seu nome de batismo) é a prova contundente de que nem só de grandes autores vive o gênero favorito dos nerds e geeks de todas as idades. Reconhecida tanto pela riqueza e profundidade com que constrói seus personagens, como pela inventividade com que cria seus mundos, a autora ganha novos leitores a cada dia. A LeYa tem se dedicado a publicar as séries que compõem o Reino dos Antigos, começando pela Saga do Assassino (com três volumes já lançados), seguida pela trilogia Os Mercadores de Navios-Vivos, cujo primeiro título, O navio arcano, já está disponível. Nele, Hobb desenvolve uma história apaixonante cujo destaque é uma forte personagem feminina às voltas com serpentes marinhas, piratas e disputas familiares pelos tais navios-vivos, heranças valiosas e muito cobiçadas por inimigos. Já na coletânea Mulheres perigosas, ela assina como Megan Lindholm um conto impressionante de gênero realista, demonstrando que seu talento como escritora está acima de qualquer rótulo.

 

Elza Soares

Uma das interpretes mais talentosas e reconhecidas da música brasileira é, sobretudo, uma vencedora. Para alcançar o status de estrela que tem hoje, Elza Soares passou fome, enfrentou a miséria, relacionamentos abusivos, perdas familiares, e ainda assim encontrou força para superar as situações mais adversas em nome de sua arte. Um dos lançamentos mais aguardados da LeYa para 2018 é a biografia (com texto de Zeca Camargo) dessa grande mulher e grande artista, que com certeza tem muito a nos contar. Enquanto isso, que tal conferir o canal de Elza Soares no YouTube?

 

Mary del Priore

A historiadora Mary del Priore é uma de nossas grandes referências quando se trata de tornar a História acessível ao grande público, sem que isso signifique a perda de profundidade e do rigor acadêmico. Autora de mais quarenta títulos do gênero, Mary tem se dedicado a remontar a trajetória dos personagens anônimos que realmente construíram a história, para além dos grandes personagens e acontecimentos mais conhecidos. Pela LeYa, a autora tem publicada a coleção Histórias da Gente Brasileira, formada por quatro volumes, os três primeiros já publicados e dedicados aos períodos da Colônia, Império e República. O quarto, construído principalmente a partir de depoimentos coletados pela autora entre gente comum que vivenciou de perto momentos da história recente brasileira, tais como golpe militar de 1964 e campanha pelas eleições diretas, tem lançamento previsto para o segundo semestre de 2018.

 

Ana Claudia Quintana Arantes

A médica Ana Claudia Quintana Arantes enfrenta cotidianamente e com muita coragem um dos grandes tabus das sociedades ocidentais: a morte. Especialista em cuidados paliativos, suas pesquisas e sua prática profissional se dedicam a diminuir a dor de doentes terminais e oferecer a eles uma condição digna, amorosa e humana de partida. Em A morte é um dia que vale a pena viver, Ana Claudia divide suas experiências com os leitores e incentiva a adoção de uma série de práticas que podem nos ajudar a viver uma vida mais plena e cheia de sentido, cultivando relações saudáveis, praticando o autocuidado e não deixando de fazer aquilo que verdadeiramente nos dá prazer. A LeYa publica, ainda este ano, um novo livro da autora.

 

Lídia Jorge

Uma das grandes damas da literatura portuguesa contemporânea, Lídia Jorge é reconhecida por seus romances e contos que, com extrema sensibilidade e lirismo, trazem personagens cujas histórias se misturam aos acontecimentos mais recentes da história de Portugal. Seus livros abordam temas como colonialismo, política, autoritarismo, fama, sempre entrelaçados a dramas pessoais que transbordam universalidade. No catálogo da LeYa, encontram-se disponíveis o romance A noite das mulheres cantoras, uma narrativa eletrizante sobre a busca desmedida pelo sucesso no mundo do entretenimento, e Antologia de contos, uma coletânea de textos inéditos, publicados pela primeira vez no Brasil.

 

Inês Pedrosa

Com o romance Desamparo, Inês Pedrosa fez sua estreia no catálogo da LeYa Brasil. Autora portuguesa das mais prestigiadas, ela conta a saga de uma mulher que retorna a Portugal 50 anos após ter sido levada de sua mãe e trazida ao Brasil. Conhecida pela riqueza com que constrói seus personagens, e por uma escrita de grande sensibilidade, é autora de mais de 20 títulos, publicados em diversos países. Recebeu o Prêmio Máxima de Literatura pelos livros Nas tuas mãos e Os íntimos.

 

Marcia Neder

A psicanalista Marcia Neder pretende com o livro Os filhos da mãe, libertar as mulheres da ideia de que a maternidade deve ser sinônimo de sofrimento e doação sem limites. Acostumada a ouvir relatos que relacionam o ideal de boa mãe à figura da mulher integralmente dedicada à criação dos filhos, sem interesses próprios, e extremamente sacrificada, ela defende uma visão de maternidade menos romanceada e mais próxima da realidade, além de propor reflexões sobre o papel de mães, pais e filhos no contexto familiar. Psicanalista e pós-doutora em psicologia pela PUC-SP, ela dedica-se ao tema da mulher e criação de filhos em diversos livros, artigos acadêmicos e colunas na imprensa.

 

Fernanda Young

Uma das escritoras mais irreverentes do Brasil, a polêmica, divertida e afiada Fernanda Young chega este ano para fazer parte do catálogo da LeYa. Autora de mais de dez livros, poeta, atriz, roteirista de programas de sucesso como Os Normais e Surtadas na Yoga, filmes e minisséries, além de mãe de quatro, Fernanda é uma dessas mulheres multitalentosas, que nos inspiram e instigam, e parecem estar sempre um passo à frente, observando os acontecimentos de ângulos totalmente originais, e voltando para nos contar o que viu. Para 2018, Fernanda promete um livro sobre um de seus temas favoritos: ser mulher e tudo o que isso significa na contemporaneidade.

 

Gabriela Kapim

A musa das refeições saudáveis em família está de volta! Em 2018, Gabriela Kapim promete nos ensinar novas receitas fáceis e maravilhosas que, mais do que proporcionar uma alimentação de qualidade, carregam o poder de (re) unir pais e filhos em volta da mesa, um dos espaços mais especiais de partilha. Nutricionista experiente e apresentadora de um dos programas de maior sucesso da TV por assinatura – Socorro, Meu Filho Come Mal faz parte da programação do canal GNT desde 2012, e já deu várias “crias” – ela mantém firme seu objetivo de envolver todos os membros da família no preparo e degustação de comida de verdade, reforçando laços e contribuindo para uma vida mais saudável e feliz.